15 junho 2009

Santa Mala dos Amigos: Harpoon Rauchfetzen

A cervejaria americana Harpoon, localizada em Boston, criou há alguns anos um projeto chamad0 100 Barrel Series. Sua intenção é resgatar raízes cervejeiras, recriando receitas de apenas uma brassagem. Serão 100 cervejas, e para cada uma delas um cervejeiro é o responsável pela fabricação, colocando sua assinatura em todas as garrafas produzidas.

A vigésima quinta destas brassagens foi a Rauchfetzen, receita de Charlie Cummings, cervejeiro da Harpoon. Ela usa malte defumado de Bamberg, porém, ao contrário das cervejas estilo rauchbier, sua presença é suave, proporcionando um ótimo balanço com o amargor e toques herbais do lúpulo Hallertau, além da presença dos maltes munich e pilsen. O nome, Rauchfetzen remete a uma palavra no alemão que significa, em tradução livre, “Nuances de Fumaça”. Outras informações fornecidas no rótulo são: 33 IBU, 15,5 OG e 6,3% ABV. A data de sua produção foi 17 de outubro de 2008.

Harpoon 100 Barrel Series #25 – Rauchfetzen
6,3% ABV

Aparência: Âmbar, leve turbidez, espuma densa e duradoura.
Aroma: Leve defumado, pão, condimentado, malte, lúpulo herbal.
Paladar: Malte, defumado, caramelo, picante, agradável amargor final.
Ótima cerveja!

6 comentários:

Leonardo Dias disse...

Parece ser sensacional mesmo.

Guilherme disse...

Edu,

É possível encontrar no mercado uma dessas?

Abraço

Edu Passarelli disse...

Leonardo,

É boa mesmo! rsrsrs

Guilherme,

Por enquanto, aqui no Brasil, não.

Abraços

Jean disse...

Prezado Edu,

Nada como ter bons amigos, hein, Edu?

Um abraço,

Jean Claudi.

Ester disse...

oi eduardo, acabei de ler sobre o seu blog no paladar do estadao...me tira uma duvida, curiosidade, por que as cervejas americanas, tipo Samuel Adams, Sierra Nevada, etc, nao vendem no Brasil? eu lembro que tinha uma epoca que tinha Sam Adams por aqui e de repente sumiu...adorei seu blog! abs, ester

Edu Passarelli disse...

Ester,

Obrigado pelos elogios!

É verdade, há alguns anos chegamos a ter Sam Adams por aqui. Porém, desde então nada de boas americanas. Existe uma grande dificuldade em importar as artesanais dos EUA. Além da grande demanda local, que consome grande parte da produção por lá mesmo, eles parecem ter receio de nosso mercado. Mas, não custa torcer por aqui!

Abraço