09 abril 2009

1ª Degustação Histórica

Só para dar água na boca!

Participei ontem de uma degustação histórica, no Frangó, SP. O time de degustadores, do qual eu tive a honra de fazer parte, era responsável por levar preciosidades do mundo cervejeiro para o evento. E o empenho de todos resultou em algo único, ímpar no mundo cervejeiro. Em breve postarei uma matéria sobre esta noite, que já entrou para a história da cerveja no Brasil!

Alguém chuta o que estava em nossos copos?

33 comentários:

Anônimo disse...

Deus e Liefmans tá fácil!

Teófilo disse...

alguma Omemgang?

Anônimo disse...

SKol, Bavaria verdinha, conti....

Essas eu ja reconheci ali. ehehhehe

Edu, tira o pe da nossa janta e conta ai!

Abraço ze augusto

Anônimo disse...

Cantillon, Fullers Vintage, DK Gusto?...

Edu Passarelli disse...

Anônimo 1, certo!

Teófilo, infelizmente, não.

Anônimo 2, uma Cantillon e uma Fuller`s Vintage. Quais?

Zé, quer me matar??? rsrsrsrsrs

Abraços

Jefferson "Jazzy" disse...

Os Caras estavam do Lado de Casa e eu não fiquei sabendo?

Sacanagem, hein?

Deus, La Trappe

abraços

Anônimo disse...

poderia haver um evento assim aqui em sp, onde se pudesse degustar cervejas, heim? nao necessariamente as importadas(mas elas tb, lóóóógico, haha), mas num geral..

eu ia dizer deus, as outras confesso que agora não consigo descobrir..
abraços
marco

Cesar Leal disse...

Suffolk?

Edu Passarelli disse...

Jefferson,

Tinha Deus e La Trappe, mas ambas safradas. Logo mais conto os anos!

Marco,

Estou pensando em organizar uma degustação legal com os leitores do blog. Logo mais conto aqui.

Cesar,

Não tinha a Suffolk.

Abraços

Daniel Gaio disse...

a quarta garrafa da esquerda p/ direita parece Urthel Quadrium.

Daniel
Grande Hotel

Anônimo disse...

Porque entrou para a história da cerveja no Brasil? O que isso vai ajudar no mercado?
As pessoas envolvidas no evento são sempre as mesmas, sempre tomam boas cervejas, o que vai mudar para mim, mero apreciador e que estou aprendendo agora?

Alexandre

Marco Zimmermann disse...

Tem uma Rogue?

Edu Passarelli disse...

Daniel,

Não era uma Urthel, mas é feita no mesmo local!

Marco, tem sim uma Rogue!

Abraços

Edu Passarelli disse...

Caro Alexandre,

Uma degustação como esta, que reuniu não só pessoas importantes no contexto da cultura cervejeira no Brasil, mas também rótulos nunca antes degustados por aqui, ou ao menos degustados em conjunto, certamente é histórica. Não no sentido pretensioso da palavra, mas sim se pensando em algo que há alguns anos seria uma utopia por estas bandas.

E certamente, você, apreciador e novato no assunto, poderá sim aprender muita coisa. Em breve sairá o post com as notas de degustação, história das cervejas e outros fatos. Espelhe-se nele para suas próximas degustações. A vida funciona assim, aprendemos com que sabe mais. A própria degustação foi um enorme aprendizado, e todos saíram de lá com mais conhecimento.

Quanto ao mercado, pergunte aos comerciantes se atitudes como esta os ajudam?

Um abraço e boas degustações

Anônimo disse...

Edu,

concordo com você em partes, sim é utopia pensar que antigamente degustaríamos por exemplo uma Pale Ale por estas bandas, mas o que parece é que estão sendo criados clubinhos, assim como cervejeiros não gostam dos enochatos que se encontram e ficam com muita frescura, isto está acontecendo com a cerveja. Qualquer ensinamento com "personalidades" hoje do mercado é cobrado, e estes eventos estão ficando bem eletizados devido aos alto preços cobrados, são raras exceções.
O que digo é porque hoje a coisa não é mais aberta, percebe-se certo estrelismo, vejo quase em todos os blogs a coisa de "...eu sou o cara"
Com certeza aprederei ainda mais contigo e com outros blogs que vejo, mas a sofisticação da cerveja corre o perigo de lhe tirar a sociabilidade.

E que ajuda os comerciantes terão se as cervejas não são encontradas no mercado?

Alexandre

Anônimo disse...

Vicheeeeeeeeee!!!!!!!!
Valeu Alexandre !!!!!
Esse mundinho de Zitochatos que se acham os ''caras'' faz a gente nem ter vontade de tomar cerveja especial.
O Edu precisa é tomar um chazinho de "se mancol"" e calçar as sandálias da humildade,tá se achando demais, heinnnn !!!!!

Edu Passarelli disse...

Alexandre,

Não existe frescura nestas degustações, muito pelo contrário. O clima é bastante descontraído, com muito bom humor e ótimas risadas. No caso desta, realmente tratava-se de algo fechado, para um grupo de amigos. Mas, analisando sem pré-conceitos, quase todas são, sejam as que eu participo ou as que você participa. É comum pessoas juntarem amigos e compartilharem o gosto por um mesmo produto. A principal diferença é o relato público, feito não para esnobar, mas sim para compartilhar as impressões e contar a história.

Não sei onde você mora, mas se estiver por São Paulo, convido-o a conhecer a Melograno e bater um papo pessoalmente. Lá, quase todos os dias, compartilho meu conhecimento com amigos e clientes. O mesmo procuro fazer por aqui, onde escrevo o que aprendi nestes anos de pesquisa para que todos possam ter acesso.

Falando sobre os comerciantes, uma das hipóteses é que eventos como este, quando divulgados, despertam o interesse do consumidor em cervejas especiais, o que teoricamente aumenta as vendas no mercado.

Um abraço

Fabio Martelozzo disse...

Existem cervejas ruins.

Existem cervejas boas.

Existem cervejas especiais.

As especiais são mais complexas, mais sofisticadas e, consequentemente, mais caras. Nem sempre dá para tomar as especiais na mesma proporção que se gostaria.

Por outro lado, existem cervejas boas muitas vezes com preço relativamente baixo.

Por exemplo, as pilsens Stella Artois e a Heineken não são muito mais caras que as comerciais ruins, como a Skol, Brahma, Antáctica ou Nova Schin.

Para tomar uma boa especial, é preciso um pouco mais de grana, o que significa que a experiência ocorrerá com menor frequência.

Mas dá para beber bem (qualitativamente) sem gastar muito e sem cair na cervochatice.

Anônimo disse...

Pois é, uma panelinha se reune pra beber e só por isso a noite entrou pra historia da cerveja nacional? que show de arrogancia e prepotencia!
este site perde a credibilidade agindo assim.

Anônimo disse...

Não estou entendendo as críticas pessoal. Esse blog foi feito com a finalidade de se compartilhar conhecimento e não se auto-promover ou esnobar alguém. além disso, ninguém é obrigado a acessá-lo. Concordo que algumas cervejas tem um preço elevado para a realidade brasileira, mas se um grupo de amigos teve a oportunidade de juntar cervejas muitos especiais e compartilhá-las entre si e ainda dividir esta esperiência com outras pessoas desconhecidas, esta iniciativa deve ser aplaudida e não esculhambada.

Abraços a todos e parabéns pelo blog Edu.

Ricardo - Jundiaí( SP)

Em tempo: Espero poder conhecer o Melograno logo.

Anônimo disse...

Uma penelinha de gente cujo trabalho é a cerveja, e não gente fazendo tipinho!!! É gente que viaja ao exterior, estuda, participa de congressos, gente que já tomou incontáveis cervejas, aí tem importador, mestre-cervejeiro, jurado internacional, gente que ajuda a mover a cultura da cerveja aqui no país. Não acho arrogancia, foi apenas uma manifestacao de quem é apaixonado pelo que faz. Com o trabalho conjunto dos importadores, estudiosos e profissionais do tema, mestre-cervejeiros, associacoes cervejeiras, microcervejarias, homebrewers, apreciadores em geral, etc, é que poderemos tornar o consumo de cervejas boas mais acessível e um hábito cotidiano. Larguem as cervejas de merda que estamos acostumados a engolir e nos preocupemos em tentar oferecer e consumir bebidas melhores, nós merecemos.

rafael disse...

Fica tranquilo Edu!
Quem te conhece pessoalmente (como eu conheci no Melograno) sabe que você é um cara tranquilo, humilde e super disposto a trocar ideias, mesmo com pessoas exaltadas como as de cima.
Acho complicado emitir opiniões sobre alguem que não se conhece... Esse é um dos motivos de eu não dizer que o Alexandre é um mané invejoso, mesmo querendo fazê-lo.

Parabéns pela degustação, Edu!

Anônimo disse...

Edu,

Agradeço o convite ao Melograno e qualquer hora com certeza conversaremos, não foi nenhum ataque pessoal, longe disso, só disse apenas que devemos, ao menos eu neste começo estou me policiando, não se tornar "o cara" aquele que se acha o bam bam bam.
Acredito que o blog difunde muito o que esta acontecendo no mercado cervejeiro sim, mas sem estas coisas do tipo "entrou para história", "fui o primeiro", "com exclusividade EU tomei", essa coisa me lembra muito o vinho, onde quem tinhas estes "méritos" é que era considerado, na realidade parece aquela coisa mesmo de: "Eu sou o cara", entende?

Mas agradeço profundamente sua atenção e parabenizo seu empenho em divulgar o mercado de cervejas.

Alexandre

Rodrigo Lemos disse...

Muita cerveja porrada! Faltou me convidar, hein??? Hehehehe... abraços!

Rodrigo - http://beerarchitecture.wordpress.com/

Pedro Fraga disse...

Vou chutar, a Cantillon é uma Grand Cru Bruocsella safrada? De "bunda" não dá pra identificar rs

Ansioso pelo post.

Edu Passarelli disse...

Fabio,

Muito bem explanado!

Ricardo,

Obrigado pelo apoio! E quando passar na Melograno, me procure. Vamos tomar uma cerveja junto.

Rafael,

Obrigado, também!

Alexandre,

Poxa, às vezes o marketing também faz parte do negócio. Eu nunca afirmei ser melhor do que ninguém, apenas busco destacar quando algo me é oferecido com exclusividade ou trago algum furo de noticia. Isso, além de mostrar a credibilidade deste diário no mercado, faz com que os leitores saibam que estão obtendo uma informação em primeira mão. E é isso ai, passe por lá e terminamos este papo com uma boa cerveja!

Grande Rodrigo,

Tem planos de vir a SP? Vamos marcar uma boa degustação sim!

Pedro,

Na mosca! É uma 2001, que já está publicada no post acima.

Abraços a todos

Rodrigo Campos disse...

Acho que os blogs cervejeiros no Brasil são hoje a principal fonte de informação e entretenimento para os amantes da nova cultura cervejeira que surge. Escrevo o meu blog também e nunca tive pretenções de me autopromover. Fazer contato com pessoas de todo o Brasil e descrobir novos amigos em cada canto é o que melhor recebo de retorno pelo blog. A curiosidade do consumidor sobre as cervejas surge através dos posts, do mais simples sobre uma Hoegaarden até os mais elaborados com eventos como este.

O Alexandre está certo em algumas colocações que faz sobre a elitização da cerveja importada ou especial. Mas a culpa disso não é dos blogueiros. Podemos encontrar nos países visinhos ao Brasil as mesmas cervejas importadas com preços melhores do que encontramos aqui. Vi relatos de a Duvel é vendida na Colômbia por 3 USD, enquanto por aqui está saindo por 7 a 9 dólares. Quem é o culpado por esta diferença gritante? Impostos de importação, frete rodoviário, volume pequeno de importação, lucros do importador e dos atravessadores? Acho que existem pessoas que podem nos dizer melhor porque que isso acontece, mas eu acho que é um pouco de cada.

Recomendo que o Alexandre sempre tente fazer contato com os blogueiros e ele vai perceber como a maioria tem disposição de ajudar com informações ou o que for preciso para aproveitar melhor o que a boa cerveja tem a nos dar.

Grande abraço a todos.

Rodrigo Campos
Para Que VoCerveja

Pedro Fraga disse...

Rodrigo,

Sua colocação é muito pertinente. Acho que boa parte da culpa é dos impostos, mas nada me tira da cabeça que existe um movimento de elitização da cerveja por parte de alguns importadores. Tenho certeza que o Edu deve estar muito (mas muito mesmo) melhor informado a respeito do que isso que eu. Só acho um absurdo uma garrafa da Urquell que custa 2 reais em Praga chegar no Rio de Janeiro por R$42.

Pior do que isso é fazer uma cerveja nacional nota 5 (em 10) e cobrar uma fortuna pela exclusividade rs.

Rodrigo Campos disse...

Assino embaixo Pedro. Mais uma evidência do que está acontecendo.

Edu Passarelli disse...

Rodrigo e Pedro,

Sem dúvida temos altos impostos, cotações diferentes de dólar quando comparada a outros países, custo de fretes, etc. E, além disso, tem muita gente colocando um belo sobrepreço nas cervejas. Isso tende a diminuir com a concorrência, mas de vez em quando surgem coisas como o caso da Urquell. Cabe a nós, além de buscar qualidade, buscar também um preço justo.

Abraço

Marco Machado disse...

Olá Edú,
Estive no Melograno um tempo atrás comemorando o aniversário do meu amigo Max, neste dia vc me procurou e conversamos um pouco sobre cerveja, deixei um cartão contigo, Marco Machado (SYMANTEC). Estou querendo fazer um evento aí, mas perdi o seu cartão. Por favor, entre em contato comigo para conversarmos.

Mudando de assunto, existe um método caseiro para fazer o tenaz, aprendi qdo me formei sommelier. use uma churrasqueira elétrica, aquelas de apto, funciona igual e vc poderá abrir a Egtved Pigens como antigamente!
Abs

Marco Falcone disse...

Grande Edu, reserva moral e cultural da cerveja no Brasil!

Tudo que você faz é muito bom, seu blog é referência e fonte de consulta, confiável, objetivo, imparcial e honesto.

Que post fantástico, que cervejas incríveis, que turma conhecedora, seleta, tinham mesmo que se juntar por ter em comum o espírito cervejeiro. Quem taxa isto de panela é porque deve estar com uma inveja sem cura.

No mais, continue a ser o profissional e ser humano que é, que o resultado de seu trabalho será sempre o que poderemos chamar de sublime.

Um abraço do amigo Marco Falcone

Edu Passarelli disse...

Grande Marco,

Obrigado pelas palavras! É por isso que tenho orgulho em ser comendador Falke Bier!

E que na próxima, você também esteja junto!!!

Um abração,

Edu