26 outubro 2008

Resposta da Cervejaria Colorado a Fergal Murray


COMUNICADO DE INDIGNAÇÃO

Movimento “Quem é você que não sabe o que diz”

A Cervejaria Colorado vem a público manifestar sua indignação ao comentário maldoso, pouco ético e sem fundamento emitido pelo mestre-cervejeiro da Guinness, Sr. Fergal Murrey, em relação à cerveja brasileira.


Agora que a Europa está em crise, parece que as grandes cervejarias estrangeiras começam a ter um grande interesse no nosso mercado. Semana passada esteve em São Paulo o cervejeiro da Guinness Sr. Fergal Murray “a convite” da multinacional DIAGEO, para ensinar brasileiro a beber cerveja, a deles.

Foi ao Anhanguera, que só vende cervejas artesanais brasileiras, e com uma careta qualificou a cerveja Demoiselle, da Cervejaria Colorado, como "É café, gelo e álcool". Oras bolas, Sr. Murrey! Gosto à parte, mas paladar é fundamental nesta nossa jornada de cervejeiro. Preferimos acreditar que fôlego lhe faltou neste maravilhoso tour beergastronômico pelo Brasil. Pior ainda foi que o comentário saiu publicado no Jornal da Tarde do último dia 21/10/2008, sob o título “Em busca da loira perfeita”.

Em resposta a este palpite infeliz do Sr. Fergal Murray, fazemos questão de manifestar nossa indignação e desrespeito à cerveja brasileira, que com muita luta vem criando sua própria escola, com muita garra, perseverança e dedicação das micro-cervejarias.
O referido palpite do Sr. Murrey não surtiria tanta indignação se viesse de uma observação isenta, mas o texto já desde o título dita idéias eugênicas (“Em busca da loira perfeita”, como se toda cerveja fosse loura e alguma delas perfeita), e segue num tom abertamente colonizador com o cervejeiro, pretendendo ensinar o repórter a beber, ser homem e assumir o controle. Rechaçamos com veemência esse tipo de postura.

Quem nos lê sabe que a Cervejaria Colorado é brasileira com muito orgulho, e utiliza os melhores ingredientes somados a toda criatividade de profissionais respeitados e premiados no segmento para elaborar seu portifolio. E a Colorado não faz só a Demoiselle, faz vários outros tipos de cerveja usando maltes e lúpulos, é claro, mas também ingredientes tipicamente regionais, como o mel de laranjeira, a mandioca, a rapadura e o café. Isso nos difere das estrangeiras, está fazendo com que nossas vendas aumentem a cada dia, e o mais importante, estamos agradando e construindo o paladar brasileiro para as cervejas premium. Será que é isso que aflige a produção massificada a ponto de ser recebermos comentários nada éticos como o do Sr. Murrey?

Então, como ninguém da Cervejaria Colorado vai à Irlanda espinafrar por escrito as cervejas irlandesas, resolvemos dedicar um sambinha ao Sr. Murray:

PALPITE INFELIZ
(CANÇÃO ADAPTADA de Noel Rosa, em honra a Ricardo Rosa, autor da Demoiselle)

Quem é você que não sabe o que diz?
Meu Deus do Céu, que palpite infeliz!
Salve Dado, Bamberg, Falke
Wals e o Schmitt
Que sempre souberam muito bem
Que a Colorado não quer abafar ninguém,
Só quer mostrar que faz cerveja também
Fazer cerveja em Ribeirão é um brinquedo
Temos bons chopes sabe até o arvoredo
Eu já chamei você pra ver
Você não viu porque não quis
Quem é você que não sabe o que diz?
A Colorado é uma cervejaria independente
Que tira chope, mas não quer tirar patente
Pra que ligar a quem não sabe
Aonde tem o seu nariz?
Quem é você que não sabe o que diz?

Deixamos aqui registrado nosso pesar ao paladar vicioso do Sr. Murray, que ao experimentar o novo e inusitado produto tropicalizado brasileiro não soube apreciar o que tem sido aclamado pelo público nacional. A todos os outros desejamos um brinde!


Segue link da matéria do JT para quem quiser conferir na íntegra:
http://txt.jt.com.br/editorias/2008/10/21/var-1.94.12.20081021.1.1.xml


OBS. REPASSE ESTA MENSAGEM A TODOS QUE APRECIAM A CERVEJA NACIONAL E O TRABALHO DAS MICROCERVEJARIAS BRASILEIRAS.


Marcelo Carneiro da Rocha
Presidente da Cervejaria Colorado, de Ribeirão Preto / SP – Brasil

21 comentários:

Anônimo disse...

Caros,

Realmente muito impressionante o comentário vindo da Guinness, já que esta mesma empresa deixa muito claro para quem visita a fábrica em Dublin na Irlanda, que a cerveja Guinness tão famosa mundialmente, nada mais é do que uma Lager comercial com adição de um preparado escuro em sua produção (preparado este que o visitante do museu em Dublin ganha dentro de uma pequena "pedra" de acrílico). Muito diferente dos produtos nacionais artesanais em sua grande maioria.
Com certeza um grande equívoco do cervejeiro que não deve conhecer a nova safra de produtores de cerveja Brasileira.

Abraços,

Claudio Zastrow.

Anônimo disse...

Olá, Edu!
Veja como são as coisas... Nós, brasileiros, "humildes", "aprendizes" da arte de fabricar cerveja, bebemos Guinness, sabemos que se trata de uma boa cerveja e afirmamos isso sem medo!!! E porque fazemos isso??? Simplesmente pela razão de conhecermos a qualidade das nossas cervejas! A realidade é que não devemos nada pra qualquer cerveja de qualquer país!!! Falar da Colorado de forma desrespeitosa causa indignação! Devemos repudiar esse tipo de manifestação!
Não me lembro o nome do proprietário da Colorado, mas mando a seguinte mensagem pre ele: Suas cervejas são muito boas. Em especial, sua caçula, a Demoiselle. Se Mr.Murrey achou que sua porter "é café, gelo e álcool", provavelmente estava no mínimo, resfriado!!!!! A opnião de Mr. Murrey teria qual peso diante da opinião de Michael Jackson?? Devemos lembrar que a Indica, outra cerveja da "odiada" Colorado foi elogiada pelo saudoso "caçador de cervejas". Vamos continuar com nossa luta afim de divulgar a boa cerveja brasleira! Parabéns Colorado!!!! Conte com a gente!
Aliás, a Demoiselle já foi postada em meu blog, em data bem anterior ao infeliz comentário e parece que não concordei muito com Mr. Murrey.
Meu blog www.santacerveja.blogspot.com
Abraço pro Edu e pra todos!!!!
Marcio Haicki

Marcelo disse...

Lamentável...

espressa-mente! disse...

Bafometro nele!! :O)

Anônimo disse...

Não consigo abrir o link para ler a matéria. Algém tem alguma indicação de outro lugar onde ela pode ser lida?
Saudações cervejeiras
Alex

espressa-mente! disse...

pode ler tambem em:
http://blog.bottobier.com.br/2008/10/26/64/
http://oglobo.globo.com/blogs/cervejaso/post.asp?t=guinness_colorado&cod_Post=135844&a=276

Anônimo disse...

Claro que gosto é pessoal; mas uma coisa é dizer que não apreciou uma determinada cerveja por causa disto ou daquilo (seja específico e profissional). Outra coisa é dar uma entrevista num jornal de circulação nacional, dizer o que disse da maneira mais rude e anti-profissional possível. Na entrevista, Murray não cita o nome da Demoiselle; mas na foto que saiu no jornal, ele aparece fazendo cara feia para a garrafa da cerveja, em primeiro plano. Mas claro, não foi intenção dele ofender ninguém, nem é pessoal, imagina......
E finalmente, vamos e venhamos: ele vem ao Brasil, vai em bares que vendem centenas de cervejas caseiras nacionais, e não tem nada a dizer de bom de NENHUMA delas? Ele comenta do clima do bar, do ambiente (que lembra os pubs de seu país; se não lembrasse, ele teria odiado), da caipirinha....e nem uma linha comentando algo de bom de qualquer cerveja artesanal brasileira.
Em uma outra entrevista dada à Folha de São Paulo, quando o reporter pergunta se ele acha que as cervejas produzidas no Brasil tem boa qualidade, Murray responde:
"É difícil dizer, não provei muitas, mas ouvi dizer que existem muitas cervejarias de estilo artesanal que estão fazendo um bom trabalho." Realmente, ouviu dizer mas nem se interessou, desprezo total para o produto brasileiro. Muito profissional. O que o Sr. Murray disse foi uma descortesia enorme para todos vocês que se esforçam para fazer, honestamente, uma cerveja artesanal de qualidade. Abraços, Daniela.

Anônimo disse...

Ainda não consigo abrir o link para a matéria do Jornal da Tarde :/ Queria ler a matéria para poder enviar um comentário diretamente ao site da Guinness criticando as atitudes de seu mestre cervejeiro e solicitando que, devido a suas posições arrogantes e pouco profissionais, a cervejaria irlandesa evitasse de enviá-lo novamente ao Brasil para fazer propaganda da carta de cervejas da Guinness. Gostaria também de convidar os colegas cervejeiros a fazer o mesmo. Vamos imundar a caixa de email da Guinness?

Saudações cervejeiras.

Alex.

Misfit cwb disse...

Parabéns Mr. Murray, realmente não passa disto "É café, gelo e álcool", quer enganar quem Colorado???

Claudinei disse...

Ainda não provei a Demoiselle, mas tenho certeza de que se trata de uma grande e conceituada cerveja artesanal, um cara apaixonado por cerveja como o Marcelo Carneiro não deixaria por menos.

Mas já provei, por exemplo, a Baden Baden Stout, que considero ser muito melhor que a Guinness Draught, pois possui mais aroma, mais corpo e mais equilíbrio entre malte e lúpulo. Existem outras Guinness mais fortes, não sei como elas são.

Que mancada, hein, Sr. Murray! Confio mais nas opiniões do finado Michael Jackson, esse sim sabia tudo de cerveja.

Anônimo disse...

É inegável que o comentário do Sr. Murrey a respeito da Demoiselle foi no mínimo infeliz. Entretando, a resposta da Colorado, ao classificar o comentário de maldoso, pouco ético e sem fundamento, vai além, ao generalizar sua opinião. Não me pareceu um desrespeito à cerveja brasileira, como afirmaram. Foi um comentário isolado. E evocar o nacionalismo, a suposta postura colonialista do cervejeiro, etc, não me parece nada adequado.
Cabe aos apreciadores da boa cerveja julgarem, individualmente, o que lhes agrada, com total liberdade e imparcialidade.

Anônimo disse...

Sei não, sei não...
Parece-me muito mais uma daquelas matérias que procuram algum atrativo extra, alguma gracinha, num tema que bem pouca gente domina e abre um enorme espaço à irresponsabilidade e inconsequencia. Alguém conhece esse jornalista? Devemos levá-lo a sério?
Talvez o Murray nem tenha dito tudo isso, ou talvez não desse jeito. Maus jornalistas temos aos montes, assim como maus motoristas, maus políticos, maus professores, maus vendedores, maus advogados, maus engenheiros, etc.
Mas temos boas cervejas também!!!
Parabéns à Colorado, à Bamberg, Schimidt, Wäls, Falke, Abadessa, Dado, Eisenbahn, Baden, entre outras por existirem e nos proporcionarem tanto prazer.
Só gostaria que fossem mais baratas, mas entendo a realidade de um país que coloca tudo no 'mesmo saco'.
abs,
Alessandro

Edu Passarelli disse...

Caros,

Antes de tudo, o link para matéria já foi corrigido.

Concordo quanto à indelicadeza do comentário. Acho que um mestre cervejeiro com o nome e importância de Fergal Murray deve analisar bem suas palavras, pois elas tem grande alcance e credibilidade. E neste caso, como se trata de um produto “similar” e concorrente dos que ele representa, o cuidado deve ser redobrado.

Porém, devo ressaltar um fato. Conheci o Murray na semana retrasada, durante sua estadia no Brasil. Trata-se de uma pessoa muita simpática, aprazível e de fácil relacionamento.

Já quanto ao jornalista que escreveu a matéria, eu não o conheço. Mas, no momento em que li a reportagem, fui à busca de informações sobre ele. Segundo um amigo que o conhece, o Alessandro é um profissional ético, sério e que merece todo o nosso respeito.

O saldo positivo desta polêmica é a discussão em torno das boas cervejas.

Um grande abraço a todos

Anônimo disse...

Como alguns costumam dizer gosto não se discute, mas nesse caso o que houve foi uma agressao à Colorado e às cervejas brasileiras. Eu como nunca gostei muito da Guinness, agora mesmo que não bebo mais. E sinceramente eles estão com dor de cotovelo, por que daqui há um ou dois anos o brasil terá todas essas cervejas, incluindo a colorado como uma das melhores do mundo. Tá todo mundo preocupado por que a EISENBAHN já ta levando um monte de prêmio!!!!! Futuramente as outras cervejas brasucas vão levar tudo!!!!

Marcio Nel Cimatti disse...

Acredito que é uma questão de tempo e de muito trabalho para que a Demoiselle seja reconhecida internacionalmente e ganhe mais alguns prêmios.

Aí a opinião do Sr. Murray deve mudar.

Parabéns a todos que lutam para melhorar a qualidade das cervejas brasileiras!!

Abs!

Marcio

Cervejeiro.com disse...

Pessoal, a Guinness tá perdendo o jogo na própria casa (para as Lager). Essa idéia da Diageo, levando esse cara para lá e para cá é justamente para tentar fortalecer a marca, com a intenção de vendê-la um pouco mais caro para as gigantes ...
Em todo caso, parabéns a Guinness. sempre é uma boa idéia manter afastado da cervejaria quem não entende de cerveja, hehehe.

(Êta comentário politicamente incorreto, hein???). De vez em quando é bom...

Abraço

Paulo Schiaveto

Alexandre Bazzo disse...

Gostaria de dar meu apoio a Cervejaria Colorado. Em minha opinião a única pessoa que errou foi o cervejeiro Murrey, teria sido muito interessante para nós cervejeiros brasileiros se tivéssemos organizado uma degustação de cervejas artesanais com Murrey, uma degustação séria, em lugar apropriado, ele nos fornecendo opinião técnica, sobre off-flavors, contaminação e eventuais erros de processo, o que um mestre cervejeiro treinado é capaz de fazer facilmente, estas críticas teriam sido muito úteis para nós. O problema foi a cara feia ao tomar a cerveja e a frase infeliz sem embasamento técnico, o ambiente onde tudo ocorreu, daí a revolta de quem produziu a cerveja, e com razão. Acredito que é o mesmo pensamento da Colorado, críticas são bem-vindas, mas desde que tenham fundamentos técnicos, desde que seja para ajudar, nos orientar e não para desmerecer, ou desdenhar do produto e principalmente da marca. Nós sabemos o quanto nos dedicamos diariamente para fazer as nossas cervejas.
Quanto ao jornalista e ao fotografo, estavam fazendo o trabalho deles, conseguiram uma foto polêmica e uma declaração infeliz.
Onde o Murrey errou? Na falta de ética em falar sobre uma marca de cerveja de um país que estava recebendo-lhe e sem conhecer toda a história desta marca, sendo ele um profissional cervejeiro que deveria estar divulgando a marca que o pagou para estar aqui no Brasil sem falar das outras, focar no que lhe foi destinado.
Por que decidi dar minha opinião? Porque como foi a Colorado, poderia ter sido a minha cerveja e minha indignação teria sido a mesma do Marcelo.

Anônimo disse...

Anonimo voce novament não consegue abrir o link?
Voce já tá enchendo o saco !!!

Anônimo disse...

As cervejas artesanais brasileiras são caras, por menos tomo cervejas alemãs que são ótimas como a licher e a koning.
Por um preço mais baixo, aí elas seriam mais divulgadas.
Acreditem cheguei a ver uma long neck da dado bier, por R$ 16,00.
Absurdo !!!

WAGNER

Claudio Brisighello disse...

Se o Murray realmente disse isto, sou a favor de retaliação na mesma moeda: além de corrente/comunicado de indignação, um convite de BOICOTE à Guinness.

abraços,
Cláudio Brisighello

Marcelo disse...

Deixamos nosso apoio a todos os profissionais da cervejaria Colorado, que com dedicação e amor conseguiram elaborar cervejas de qualidade e sabores que agradem aos consumidores brasileiros. Ainda bem que a Colorado não faz cervejas para o sr. murray e muito menos para os holandeses, pois do contrário, com certeza não teríamos cervejas tão saborosas e agradáveis ao nosso gosto.
Grande abraço.
Marcelo.
Confraria Confrabirra - Bauru/SP