27 setembro 2008

European Beer Festival 2008

Entre os dias 12 e 14 de setembro aconteceu o 1º Festival Europeu de Cervejas, em Copenhagen, Dinamarca. O evento foi organizado pela Danish Beer Enthusiasts, uma organização dinamarquesa formada por consumidores apaixonados pela cerveja, que hoje possui 11 mil associados ativos. Estive presente nos três dias de festival, acompanhando o evento como convidado de imprensa e viajei à Dinamarca a convite da Cervejaria Colorado, de Ribeirão Preto.

O público estimado durante todo o evento foi de 20 mil pessoas. Estavam presentes 450 cervejarias de diversos países, com mais de 2000 marcas de cerveja. A organização foi impecável. Logo na entrada o visitante recebia um copo de degustação, com capacidade máxima de 100 ml. As cervejas só podiam ser servidas neste copo, e cada dose custava 10 DKK, cerca de R$ 3,50. Sanitários limpos e em número suficiente, filas adequadas e rápidas e nenhum tipo de confusão.

A gastronomia também estava presente por lá, e em grande estilo. No setor das cervejas inglesas uma porção de queijos selecionados do país custava o mesmo que uma dose de cerveja. Na área de restaurantes, vitela assada com cerveja e javali com batatas eram algumas das opções de menu.

Vitela assada na cerveja

Como era de se esperar, as cervejas foram o ponto alto da festa. E bota altura nisso. Além de produções dinamarquesas de alta qualidade, como Norrebro, Jacobsen, Bogedal e Kolster, estavam presentes algumas das melhores marcas de cerveja do mundo. Cuvée Van de Keizer em diversas safras, English Cask Conditioned Ales, Harvistoun maturada em carvalho de whiskie 12 anos, Cuvée De Molen, toda a linha Trappista, Brooklyn Brewery, dentre muitíssimas outras. Aos poucos vou comentando por aqui algumas das degustações que participei, como as das citadas acima ou uma de Thomas Hardy`s vertical.


English Cask Conditioned Ales

Uma rara produção dinamarquesa, baseada em estudos históricos realizados no túmulo de uma mulher que teria sido uma espécie de miss na Dinamarca em 1357 A.C., foi arrematada pelo Marcelo Carneiro, que a doou para as Acervas. A receita desta cerveja tenta reproduzir o que teria sido a primeira cerveja da Dinamarca. Sobre o leilão desta cerveja e outras informações sobre ela eu escreverei posteriormente.

Veja um álbum com algumas fotos do festival, aqui.


Cilene Saorin, Jens Eiken (Mestre Cervejeiro Jacobsen) e Edu Passarelli

Uma questão a se pensar

A cervejaria Carlsberg é líder em vendas no mercado dinamarquês. Junto com suas outras marcas, Tuborg, Jacobsen e Wiibroe, ela detém 63% do mercado local. E a cada ano a situação da empresa evolui.

O que levaria esta empresa a abrir as portas de sua fabrica e apoiar em festival de cervejas com a presença de inúmeras microcervejarias, cervejarias, distribuidores, ou seja, seus concorrentes?


9 comentários:

Bia disse...

duuu!!!chique!!!que delícia, espero que tenha aproveitado ao máximo!!!beijos querido!!!

Anônimo disse...

Por aqui a situação já é extamente o contrario. O grande massacra os pequenos!

Anônimo disse...

E, na tentativa de se colocar mais cervejas boas nas nossas mesas, surgem importadores que massacram nossos bolsos pra faturar.

Edu Passarelli disse...

Bia,

Obrigado! Pode ter certeza que aproveitei muito!!!

Beijo

Anônimo 1,

Verdade. Aqui, em muitos casos, a pressão sobre os pequenos é enorme. E por parte do governo tb!!!

Anônimo 2,

Enxergo esta situação mudando. Muitos importadores já trazem cervejas a preços justos, ainda mais com a queda do valor do dolar. Mas ainda pode melhorar!

Abraços

Anônimo disse...

Passarelli,

Também me questiono a mesma coisa sobre a estratégia da Schinchariol. Qual a estrategia de comprar a Baden Baden, Devassa e Eisenbahn se o carro chefe continua sendo a Nova Schin? Acredito ser um pouco estranho...

Germano Jaeschke Schneider disse...

Do mesmo modo que o carro chefe da Fiat é o Palio e não uma Ferrari.

O que eu não entendo é porque a Schin comprou 3 micro-cervejarias e não apenas uma e se concentrou nesta.

Passarelli, tu achas que essas 3 marcas atuariam em nichos de mercado distintos?

Laki disse...

Edu!

Viagem de fazer inveja hein?
Parabéns pelo Blog e obrigado pelas Tchecas. Peguei ontem e ja provei uma. Simplesmente incrivel, com aroma e sabor no nivel da Czechvar (na minha opiniao até melhor

Edu Passarelli disse...

Germano,

Anônimo, gostei da boa comparação da Schin com a Fiat, apresentada pelo Germano. Concordo com ele.

Germano,

Quanto à posição das marcas, enxergo ao menos a Devassa posicionada de forma bem diferente. São cervejas mais suaves e destinadas ao público jovem, de balada. A Baden e Eisenbahn têm a questão gourmet, mas acho que ainda é cedo para falar de Eisenbahn.

Um abraço

Edu Passarelli disse...

Laki,

A viagem foi sensacional mesmo! Uma experiência memorável!

Que bom que gostou da Tcheca, e ficamos lisonjeados com a comparação com a ótima Czechvar.

Um abraço