09 julho 2008

A Dama do Lago


A cervejaria Eisenbahn lança amanhã A Dama do Lago, cerveja vencedora do primeiro concurso Mestre Cervejeiro, romovido pela cervejaria e pela revista Beer.

A receita é do carioca Leonardo Botto, que acompanhou de perto a produção dos três mil litros da cerveja.

A Dama do Lago é uma belgian strong ale, do sub-estilo Belgian Dark Strong Ale (BJCP), com 9% de teor alcoólico. É feita com seis tipos diferentes de malte de cevada, malte de trigo escuro, aveia em flocos, açúcar e três lúpulos. A Eisenbahn foi buscar um fermento trappista, mesmo estilo utilizado por Botto em sua produção caseira, e que entra também na refermentação da cerveja na garrafa. A embalagem será de 375ml, em garrafas de champagne arrolhadas. São apenas 8000 unidades!

Degustei a Dama do Lago em primeira mão, e abaixo descrevo minhas impressões:

A Dama do Lago
9,0% ABV

Aparência: Cobre/vermelho, límpida, espuma densa e de média duração.
Aroma: Malte, toffee, madeira, leve cravo.
Paladar: Malte, ameixa seca, toffee, leve amargor, final seco.

16 comentários:

Anônimo disse...

Edu,

Tem ideia de quanto vai custar cada garrafa???

Abraços,

André Santiago

Edu Passarelli disse...

André,

Entre R$ 25 e 30.

Um abraço

Rodrigo disse...

Olá Edu,
Estava muito ancioso para comprar algumas garrafas da Dama do Lago. O marketing proporcionado à esta breja pelo concurso mestre cervejeiro e pelo acondicionamento em garrafas com rolhas foi efetivo, criou muitas expectativas.
Não posso entretanto deixar de tecer comentários sobre o valor final de cada garrafa que você está citando.
Não podemos deixar de esquecer que esta é uma cerveja feita em pequena escala, que foram utilizados os melhores ingredientes que podem ser encontrados no mundo, que a equipe que participou da produção é das melhores, mas se for este mesmo o preço... tá caro né!
Até mesmo encontramos cervejas belgas e inglesas por valores como este, mas se consideramos que estas têm o peso de tarifas de importação, e os altíssimos lucros tanto de importadores quanto de casas e lojas que vendem ao consumidor (vide os preços bem mais baixos encontrados na Argentina por cervejas semelhantes como Samuel Smith e Pilsner Urquell)é de se estranhar que uma cervejas feita no Brasil saia da fábrica por preço tão alto.
Bem, minha intenção era fazer um pequeno estoque da Dama do Lago, mas agora vou pensar duas vezes!

Gostaria muito de saber qual é a opnião dos colegas. Infelizmente não tenho Orkut e por isso não participo da comunidade Degustadores de cervejas.

Um abraço Edu.

Rodrigo Campos - Fortaleza-CE

Edu Passarelli disse...

Caro Rodrigo, tudo bom!

Também fiquei surpreso quando soube do preço da Dama do Lago. Não conheço os custos de produção dela, mas esperava algo um pouco mais baixo.

Creio que o preço seja posicionamento do produto no mercado, principalmente por se tratar de uma raridade.

E os outros leitores? O que acham?

Abraços

Vicente Ferrari disse...

Vamos torcer para que o produto torne-se regular de linha. Quem sabe o preço não fique mais atrativo. Abraço!

André disse...

A título de informação, na Estação Eisenbahn (bar da fábrica), a Dama do Lago está sendo vendida por R$ 20,00. Também achei que o preço ficou um pouco acima do esperado.

Rubinho disse...

Meus Caros:

tenho que concordar que o preço dela está um pouco fora do esperado, mas fazer o que.
Bom queria saber onde posso encontrá-la, pois estou muito curioso para degustá-la.

Abraços
Rubinho

Anônimo disse...

Caros (sobre o preço),

A pequena quantidade produzida faz aumentar muito os custos principalemente com embalagem (garrafa, rolha, rótulo, registro do produto, etc) e matérias primas não comuns ao processo. Com certeza as cervejas Européias e Americanas que conseguimos no Brasil pelo mesmo preço são produzidas em escalas muitas vezes maiores que a Dama do Lago (3.000 litros se estou correto). Não acho um valor baixo, mas acho que vele a pena a compra de ao menos 1 ou 2 garrafas para curtir a degustação com amigos.

Grande Abraço,
Claudio Zastrow.
Joinville.

Edu Passarelli disse...

Vicente,

Torço pelo mesmo!

André,

Este tb é o preço de venda para bares e restaurantes.

Rubinho,

Vale degustar.

Abraços

Edu Passarelli disse...

Claudio,

Obrigado pela explicação. É sempre bom conhecer a visão dos produtores e entender um pouco mais sobre estes custos.

Quanto a comprar 1 ou 2 garrafas, eu diria que vale ao menos o dobro disso. Parte para degustar agora e algumas para ver como ela se comportará com o envelhecimento. É uma cerveja diferete de todas as que temos no mercado!

Grande abraço

Rubinho Mattos disse...

Meu Caro:

Queria saber onde posso encontra essa cerveja???

Edu Passarelli disse...

Rubinho,

Já a vi no Tortula e no Frangó. Na loja on line da Eisenbahn ela tb está à venda. Creio que em breve tb estará em todos os pontos que trabalham com cervejas especiais.

Um abraço

Rubinho Mattos disse...

Edu, Muito obrigado pela resposta e pela atenção.

Edu Passarelli disse...

SOBRE PREÇOS DAS CERVEJAS

Caros,

Conversei com o pessoal do Grupo Schincariol, responsáveis pela Dama do Lago e Baden Baden Tripel.

A Baden Baden Tripel é uma cerveja que teve maturação de 15 meses, ou seja, 15 meses ocupando um tanque de uma fábrica. Isso já representa um custo elevado, ainda mais dentro de uma microcervejaria. Ainda impactando este custo, tem-se a garrafa de cerâmica, que também possui um alto preço, mas que foi escolhida para embelezar e valorizar um produto diferenciado. Isso sem falar no sistema de fechamento “swing-top”, que custa mais que a própria garrafa.

A Dama do Lago também possui uma embalagem de valor elevado e um custo de produção diferenciado. Ela passa, por exemplo, parte de seus três meses de maturação em uma vinícola, e este local, claro, tem custo. Também existiram todos os custos com elaboração, divulgação e premiação do Concurso Mestre Cervejeiro, e isso tudo para ser diluído em 3000 litros de produção.

Portanto, não se trata de posicionamento de mercado, mas sim um preço que a empresa considera adequado para comercializar estas cervejas.

Abraços

Rodrigo disse...

Olá Edu,

Uma dúvida quanto à degustação da Dama: tenho a impressão de ter sentido um sabor levemente avinagrado na Dama, lembra até mesmo um pouco azeitona. Será que em uma próxima degustação você não poderia prestar atenção a este aspecto?
A madeira ficou bem forte junto com o malte.

Abraço.
Rodrigo Campos
Fortaleza - CE

Edu Passarelli disse...

Olá Rodrigo, tudo bom!

Já na primeira degustação senti este acético, mas que era bem suave. Mandei um e-mail para cervejaria, e fui informado de que um novo lote está sendo produzido. Vamos ver como ele sairá nas futuras degustações.

Um abraço