21 maio 2008

Harmonizações com as novidades da Bier und Wein

Para apresentar suas novidades, quatro cervejas austríacas e uma tcheca, recém chegadas ao Brasil, a importadora Bier und Wein organizou um almoço de harmonização para elas, no restaurante paulista Al Mirto. Eu já havia degustado as cervejas na harmonização com charutos promovida pelo César Adames, mas estava curioso para degustá-las harmonizadas com um cardápio criado pelo Chef Russo, especialmente para o evento.

Em breve publicarei uma degustação somente com as cervejas sozinhas, e ai conto um pouco mais sobre elas.

Salada de Camarão agridoce e picante com cenoura, com 1795
Como entrada tivemos uma salada de camarão agridoce e picante com cenoura, e para harmonizar, a cerveja tcheca 1795. O prato ressaltou levemente o amargor da cerveja, que com sua carbonatação cortava a gordura do camarão, permitindo que seu sabor se destacasse. A cenoura e o molho agridoce e picante combinaram muito bem com a boa presença de malte e o lúpulo da 1795.

Ravioli de Robalo na manteiga e sálvia
Seguimos para o ravióli de Robalo na manteiga e sálvia. A cerveja para harmonizar com o prato era a Eggenberg Nessie, que contém malte defumado com turfa em sua fórmula. Com a massa e o molho, a harmonização ocorreu muito bem. Já o peixe do recheio destoou levemente do conjunto.
Gnocchi com manteiga de salsa e queijo Castelmagno
Seguindo com o menu, veio o Gnocchi na manteiga de salsa e queijo Castelmagno, criado para harmonizar com a Eggenberg Hoppenkönig. O malte da cerveja encontrou no gnocchi semelhança de sabores, enquanto a boa presença de lúpulo de amargor dela trazia frescor e cortava a gordura do molho. Talvez, se o molho tivesse uma erva mais aromática na composição, a harmonização seria mais eficiente.
Picanha ao molho de cerveja com purê trufado
Para harmonizar com a Urbock 23º, uma cerveja potente não só em sabor, mas em teor alcoólico, o chef Russo optou pela picanha ao molho de cerveja com purê trufado. A carne e o molho, sozinhos, pediam uma cerveja com maior presença de maltes torrados. Já quando o prato era degustado com seus três elementos, o purê trazia a harmonia e suavidade de sabor necessária, tornando o conjunto muito saboroso e deixando com que a cerveja não dominasse tão intensamente o paladar. Destaque para o purê, que estava aveludado e muito saboroso.
Mousse de chocolate branco e preto com farofa de castanha

Como sobremesa, e para enfrentar a vigorosa Samichlaus, com seus 14% de álcool e seu intenso doce proveniente de malte, a escolha foi a mousse de chocolate branco e preto com farofa de castanhas. O resultado foi muito agradável, permitindo que ambos tivessem seus sabores claramente percebidos, e finalizando a bela refeição com chave de ouro!

5 comentários:

Anônimo disse...

Degustei a 1795, bela cerveja!!


Wagner Degustador

Edu Passarelli disse...

Verdade, Wagner. É uma bela cerveja! Foi a que mais gostei dentre as tchecas que aqui estão.

Abraços

Fabio Martelozzo disse...

Edu, se possível, publique a receita da picanha com molho de cerveja.

Edu Passarelli disse...

Fabio,

A receita é do chef Russo, do restaurante Al Mirto.

Vou criar algo parecido, e em breve posto por aqui!

Um abraço

Fabio Martelozzo disse...

Graaaaande Edu!