28 abril 2008

Edelweiss Weissbier Snowfresh

O estilo de cervejas mais importado para o Brasil, sem dúvida, é o Weissbier. Começou com a Erdinger, que teve grande aceitação do público, e em minha opinião é a responsável pelo inicio desta fase de “conhecimento” cervejeiro que o brasileiro experimenta hoje. Depois dela, inúmeras outras marcas chegaram por aqui, além de surgirem outras novas produções locais.

A maioria destas Weiss apresenta as características mais notórias do estilo, que são os aromas/sabores de cravo e banana. A austríaca Edelweiss Snowfresh foge desta regra, pois é uma Weiss “temperada” com ervas alpinas. Isso lhe confere destacados toques herbáceos e florais, que contrabalanceiam com as características de Weiss que nela também são encontradas. É uma cerveja interessante, diferente de tudo o que eu já havia provado, e eu recomendo que seja consumida em temperaturas mais baixas (2ºC-3 ºC), para que ela não se torne enjoativa, mas sim, refrescante.

Edelweiss Snowfresh
5.0% ABV

Aparência: Laranja, turva, boa formação e duração de espuma.
Aroma: Herbáceo, cítrico, floral, banana, doce.
Paladar: Malte, ervas, cítrico, sementes de coentro, frutado, leve doce.

7 comentários:

VdeAlmeida disse...

Meu caro Edu

Não concorda que a temperatura demasiado baixa "queima" sabores à cerveja?
A mim parece-me que acontece á cerveja o mesmo que nos acontece aos dedos quando seguramos um pouco de gelo. Claro que há cervejas com tão pouco sabor, quue não queima nada, eheheh. Mas não é o caso das Weiss, claro.

saudações

Fabio M disse...

Se o sabor dessa cerveja for realmente tão bom quão bonita é sua garrafa, deve ser fantástica.

Onde que essas belezuras serão distribuídas, já que só a vi no site da importadora (bem como a Starobrno), pelo menos aqui em Sampa?

Edu Passarelli disse...

Vdealmeida,

Existem temperaturas adequadas para cada tipo, estilo e até marca de cerveja. O frio é um inibidor de paladar, e muitas cervejarias o usam para mascarar um produto de baixa qualidade. Porém, em alguns casos, ele pode trazer o equilibrio de sabores. E neste caso, estou recomendando 1 ou 2 graus abaixo do padrão para weiss. Faça o teste!

Fabio,

Ela é muito bonita mesmo. E o sabor, inusitado. Ainda não as vi por SP, mas no Cervejasnet você as encontra para venda.

Um abraço

VdeAlmeida disse...

Concordo consigo, Edu. Não me referia a esta em especial, mas à "mania" que existe por aí de beber toda a cerveja gelada, e claro, em favor de algumas cervejeiras, como refere.
As Weiss, gosto mesmo delas frescas, tal como as stout ou as lagers.
Já as trapistas, vão mesmo quase à temperatura ambiente.
Cheers

Giovanni disse...

Edu,

A dificuldade de encontrar a Edelweiss em São Paulo deve ser passageira: os seus importadores (iBeer) estão procurando alguém para distribuir as suas marcas (que inclui a Starobrno) nesta cidade. Por enquando só existe um distribuidor no Estado de São Paulo, localizado em Taubaté (Estação Cerveja).

A propósito, no Grande Rio a Edelweiss já pode ser encontrada no Empório Icaraí e em breve, no Intervinos e outros locais, levadas pela Balkonn, distribuidora da Mistura Clássica e da iBeer no Grande Rio e Região Serrana do Estado do Rio.

Abç,

Giovanni Calmon

Anônimo disse...

Bem, eu moro na Austria e nao gosto muito dessa Edelweiss nao... eu prefiro as cervejas de trigo da Bavária... a minha favorita é a "Unertl", uma cerveja mais escura. O engracado é que a Erdinger Pikantus eu sempre achei no Brasil e aqui eu nao encontro nem por milagre!

Abracos e parabens pelo blog
Daniel Burnier

Edu Passarelli disse...

Olá Daniel, tudo bom!

Ainda não provei a Unertl, mas ela está na minha "to do list".

Será que a Pikantus tem foco em expotações? Sei que a Erdinger faz uma Oktoberfest só para exportação.

Um abraço