26 novembro 2007

Rochefort 6º, 8° e 10°

Situada na pequena cidade de Rochefort, na região de Ardennes, Bélgica, a Abadia Notre-Dame de Saint-Remy é responsável pela fabricação das magníficas cervejas Rochefort, e existe desde 1230. Em 1464 foi convertida a monastério e somente em 1595 iniciou a sua produção cervejeira. Em 1794, por força da Revolução Francesa, interrompeu suas atividades. Monges Trappitas reocuparam a abadia em 1887, e, dois anos depois, construíram uma nova cervejaria. Em 1952 as instalações da cervejaria foram modernizadas, e assim permanecem até os dias de hoje.

Hoje a cervejaria representa a principal fonte dos rendimentos do monastério. Fabricadas por laicos, supervisionados pelos monges, as cervejas produzidas ali recebem o selo de autêntico produto Trappista. Apenas outras cinco cervejarias na Bélgica e apenas uma na Holanda tem a autorização para receber este selo, e por conseqüência produzir cervejas Trappistas. Além de ser produzida dentro de um monastério Trappista, para receber este selo a cervejaria deve seguir outras regras, que são: - A cerveja deve ser produzida exclusivamente dentro do recinto da abadia. - A produção e a gestão devem fazer-se sob a vigilância dos monges. E, - Os benefícios podem servir apenas para sustento da comunidade e em proveito das obras sociais.

Matéria-prima e cervejas
A água, o malte de cevada, o açúcar, o lúpulo e o fermento constituem as matérias-primas principais das Rochefort. As águas provem diretamente da fonte de Tridaine, situada algumas dezenas de metros abaixo da abadia. Nenhum tratamento químico, físico ou outro é aplicado a esta água, que já vem purificada naturalmente da fonte. Maltes, em sua maioria caramelizados, lúpulos Hallertau e Styrian Goldings, e o açúcar, que adicionado na etapa de fervura ajuda a elevar a densidade do mosto, são outros ingredientes destas raras cervejas. Já o fermento, que confere às Rochefort características únicas, é um segredo guardado a sete chaves pelos monges.

São três as cervejas Rochefort, todas elas com coloração escura. 6°, 8° e 10°, os nomes que cada produto possui, vêm de uma antiga unidade belga para medição de densidade, que corresponde aos valores de densidade aferidos no mosto. A produção atual é de 180.000 hl, realizada durante quatro dias da semana, iniciando às 3 da manhã!

A cervejaria possui um ditado muito interessante, que deveria servir como base para muitas degustações:

“Uma cerveja fabricada com saber degusta-se com sabedoria”.

Busquei esta sabedoria, adequada a um momento apropriado, e realizei a degustação das três Rochefort, a qual descrevo a seguir. A temperatura ideal para a correta apreciação destas preciosidades é entre 12 e 16ºC.

Rochefort 6°
7,5% ABV

Aparência: Avermelhada, quase marrom. Espuma com média formação e duradoura.
Aroma: Caramelo, frutas escuras secas (bastante ameixa), nozes, lúpulo.
Paladar: Caramelo, toffee, chocolate, frutas secas, leve amargor.
A irmã mais nova Rochefort se mostrou uma bela cerveja, muito aromática e saborosa, proporcionando um magnífico inicio de degustação!

Rochefort 8°
9,2% ABV

Aparência: Marrom, opaca, espuma densa e duradoura.
Aroma: Malte, chocolate, cereja, condimentos, mel. Complexo.
Paladar: Malte, toffee, figo, açúcar mascavo, ameixa, licorosa, calor do álcool. Complexo.
Já havia provado esta cerveja em outras oportunidades, e esta degustação só veio a atestar o que eu já sabia. Ela é fantástica! Complexa, com uma infinidade de aromas e sabores, é uma cerveja muito especial.

Rochefort 10°
11,3% ABV

Aparência: Marrom escura, vermelha contra a luz, boa formação e media duração de espuma.
Aroma: Malte, uva passa, ameixa, cereja, açúcar mascavo, compota de frutas. Bastante complexo.
Paladar: Frutas escuras secas, caramelo, chocolate, amargor proveniente de lúpulo bastante equilibrado com a doçura da cerveja. Álcool quente e também muito equilibrado. Bastante complexo.
A poderosa Rochefort 10º, com seus 11,3% de álcool, é uma cerveja para se tomar de joelhos. Certamente está entre as melhores que já degustei. É bastante complexa, rica, saborosa. Obrigatória do currículo do cervejeiro!

10 comentários:

Botto disse...

Edu, eu e alguns amigos começamos a nos movimentar com o fim de passarmos um abaixo assinado propondo a extinção do BLOG EDU RECOMENDA !!! Tal blog é deveras ruim pra comunidade, proporcionando-nos sentimentos baixos, vis e pecaminosos, principalmente os de gula, cobiça e inveja. Tá pior do que anúncio de churrascaria na madruga.
Sacanagem de lado, parabéns mais uma vez pelo trabalho, sensacional.
Aquele abraço,
Botto

Tiago Peczenyj disse...

Hoje eu provei a Rochefort 8 e foi uma bela experiência.

Não sabia o que esperar dela, antes só tinha provado Chimay, Orval e La Trappe, mas fiquei algum tempo respirando e provando esta delícia.

Nicolas disse...

Sou belga e moro no Brasil, e choro de não poder tomar uma boa trappiste!!

Aqui em Minas Gerais tem uma cervejaria que faz cervejas do estilo belga, ainda não provei, o preço é uma vergonha...

Anônimo disse...

Blog é uma m. mesmo, não? O tal do blogueiro escreve o que quer. Ele é o dono do pedaço e não existe auditoria de nada. Abaixo vem o cordão dos puxa-sacos inúteis com piadinhas infames e, a seguir, o egocêntricos inúteis, falando coisas sobre si mesmos que não interessam a ninguém. Se todas essas pessoas convergissem sua limitada capacidade para algo útil e coordenado, o mundo seria bem melhor...

Edu Passarelli disse...

Anônimo,

"Se todas essas pessoas convergissem sua limitada capacidade para algo útil e coordenado, o mundo seria bem melhor..."

Siga seu próprio conselho. Vá fazer algo melhor!

silvio disse...

Por que será que a gente passa tanto tempo sem saber das coisas boas da vida? Só agora em 2015, depois de 8 anos fui descobrir isso? Fantástica cerveja!!

Edu Passarelli disse...

Silvio,

Bem vindo ao mundo das boas cervejas!

Um abraço

Anônimo disse...

Entrei para esse mundo maravilhoso das cervejas especiais a um ano e já são mais de 200 garrafas inéditas degustadas...belgas, tchecas,alemães, holandesas e brasileiras...e isso não tem volta! A melhor frase é " a vida é muita curta pra tomar cerveja barata!"
Verdadeiros orgasmos degustativos essas Trappistes Rochefort!!!
Parebéns pelo blog meu xará Edu!!
Saúde!!
Abração

CLAUDIO SOUZA disse...

Adoro cervejas especiais. .São várias o mundo da cerveja mais e td de bom.

CLAUDIO SOUZA disse...

Adoro cervejas especiais. .São várias o mundo da cerveja mais e td de bom.