18 março 2008

Colorado Demoiselle

Qual o elo entre o empresário Marcelo Carneiro da Rocha, o matemático Ricardo Rosa e o pai da aviação, Santos Dumont?

A cerveja!

A história, ou a cerveja, começa próximo ao evento nacional da AcervA, em setembro passado. Antes mesmo de saber que o Ricardo Rosa levaria duas medalhas de ouro para casa, Marcelo o convidou para um grande desafio: produzir uma cerveja em parceria com a Colorado.

Ricardo conta que a idéia era fazer uma Porter com café, utilizando um método não usual em grandes cervejarias, mas descrito em um livro de home brewing de Randy Mosher, que é a extração a frio do café. Durante a maturação, o café, já liquido, mas que sofreu a infusão fria, ou seja, os grãos permanecem por determinado período em água fria tratada e o liquido absorve suas propriedades, é adicionado à cerveja


Ricardo, em uma situação já comum: recebendo um prêmio!
O segundo passo foi a viagem de Ricardo até Ribeirão Preto, na fábrica da Colorado, com a finalidade de conhecer alguns detalhes de uma cervejaria industrial, tais como eficiência de brassagem, atenuação de fermentos, lupulagem, já que até então a sua experiência de produção era em uma panela de 20 litros, na cozinha de seu apartamento. Outra dificuldade a ser superada era a escolha dos ingredientes, uma vez que era necessário trabalhar apenas com os encontrados no Brasil, e muitos dos até então utilizados por Rosa vinham do exterior, principalmente as leveduras.

Marcelo, em sua cervejaria, a Colorado
Alguns testes depois, realizados com brassagens caseiras de 20 litros, e a receita estava definida. Novamente uma viagem a Ribeirão, desta vez para a produção em larga escala, junto com o cervejeiro da Colorado, Rodrigo Silveira. Esta primeira produção, ainda um protótipo, foi a que degustei e comento mais abaixo.

Mas e Santos Dumont, onde entra na história? (da cerveja, claro!) Demoiselle, nome escolhido por Marcelo para batizar a cria, é uma homenagem a uma das aeronaves criadas por Dumont. Fã do inventor, Marcelo destaca também sua ligação com a cidade de Ribeirão Preto e o café, já que a família Santos Dumont possuía fazendas na região, e provavelmente os custos de criação do Demoiselle foram pagos com capital proveniente da produção cafeeira.

Colorado Demoiselle6,0% ABV

Aparência: Marrom escura, espuma densa e duradoura.
Aroma: Café, chocolate, malte.
Paladar: Malte, caramelo, chocolate, café. Amargor proveniente do café ao final. Bom equilíbrio entre o doce de malte e o café, que aparece com seu sabor bastante definido e não predominante.

Onde:
Em breve

8 comentários:

espressa-mente! disse...

fiquei curioso com a seguinte parte do texto "utilizando um método não usual em grandes cervejarias, mas descrito em um livro de home brewing de Randy Mosher, que é a extração a frio do café"! pode explicar?
abraços e no aguardo na nina para a harmonização prato, cerveja e cafe!
abs,

Edu Passarelli disse...

Caro espressa-mente,

A infusão a frio do café consiste em deixar os grãos de café dentro de água fria tratada, por um determinado período. Esta água vai absorver muitas características dos grãos, como aromas, sabores e cor. Uma das vantagens deste método, na produção cervejeira, é a acidez, consideravelmente menor.

Também aguardo a harmonização. Vai ser bacana!

Abraços

Tatiana Botto disse...

Tomei alguns goles e já passou a ser uma das minhas cervejas favoritas.
O Ricardo abusa!
Nunca tomei uma cerveja boa dele. São todas de excelente pra cima.

Anônimo disse...

Pra quando é a previsão da Colorado Café? Sensacional!

Vesoloski disse...

Onde experimentar? Aqui em Ribeirão é calro no Cervejarium. Poxa, essa é a vantagem de ser frequentador do bar do Marcelo Carneiro, saiu da Cervejaria está no bar. Passando por Ribeirão não deixe de dar uma passadinha lá!

Algumas fotos do bar: http://www.flickr.com/photos/vesoloski/sets/72157604161092862/

[]'s
Marcelo vesoloski

Edu Passarelli disse...

Anônimo,

Eles só aguardam a liberação do Ministério da Agricultura. Vamos torcer para o governo agir rápido!

Vesoloski,

O Cervejarium é demais!!! Ótima dica! E a Demoiselle já está por lá, em chope.

Abraços

Rodrigo disse...

Isso é que é um casamento feliz! Dois caras sensacionais do mundo da cerveja! Edu, no que exatamente o café contribuiu a mais pro resultado final da cerveja, versus as características de café que são provenientes dos maltes torrados?
Que venha em garrafa (não sei quando vou poder ir à Ribeirão de novo, devo uma visita ao Marcelo desde o ano passado!)
Abração!

Edu Passarelli disse...

Rodrigo,

Além do sabor de grão torrado (o que associamos ao café em outras cervejas), o café também possui sabores e aromas bastante característicos. E são estes que ele cede a essa bela cerveja!

Abraços